terça-feira, 23 de novembro de 2010

Patricia & Luciano

Eles começaram juntos ainda muito novos, lá no Clube da Criança, quando ainda era apresentado pela namorada do Pelé. Viraram gigantes da música infantil dos saudosos anos 80, quando juntaram-se a Juninho Bill no Trem da Alegria. Seguiram em suas carreiras solo, cada um no seu estilo, com alguma visibilidade, mas sem grande sucesso comercial. E nessa sexta, 26, depois de 25 anos, a dupla se reune para cantar sucessos da época de criança.


Patricia & Luciano versão 2010

Ao contrário de Luciano, é a primeira vez que Patricia participa de uma festa do estilo. Publicamente contra o termo "trash 80", a cantora relutou em voltar a cantar músicas do Trem, por não considerar lixo (trash) o trabalho que fez em sua infância. Pois bem, no Rio a festa é chamada Ploc, e eu estou morrendo de inveja dos cariocas que poderão ver em primeira mão esse reencontro no Circo Voador. Agora é torcer para que seja um sucesso e eles resolvam faturar um pouco aqui em São Paulo também. E, para mim, a foto que ilustra esse post já é histórica.


play>> Trem da Alegria - He-Man

2 comentários:

Valente disse...

Oi, Heitor, como vai? Por um google que já nem lembro mais, caí no seu blog e fiquei um tempo lendo algumas coisas.

Fui a esta Ploc onde cantaram Patricia e Luciano. Foi naquela semana tensa no Rio, quando invadiram o complexo de favelas do Alemão. A Ploc não estava cheia, talvez apenas 1/3 da capacidade do Circo Voador, mas ainda assim a festa foi bastante animada.

Sou bastante bissexto na noite, mas fui apaixonado por Patricia quando eu era criança e acho que foi isto que acabou me levando ao Circo. Não cheguei a acompanhá-la na fase solo (exceto bem no começo) e já tinha lido algo dela comentando que não tinha interesse nessa onda retrô. Fiquei surpreso ao saber que ela participaria e esperava uma figura menos à vontade em cena. No entanto, ela estava alegre e simpática com o público, até mesmo com os mais inconvenientes (um deles subiu no palco com a intenção de abordá-la). Só que ela não lembrava várias das letras e, do que lembrava, sua voz não se ouvia tão bem. Mas ainda assim, foi bastante interessante revê-la depois de tanto tempo, continua uma figura interessante. Lamentei apenas que estivesse com os cabelos presos, já que fica mais bonita com eles soltos.

Acabou sendo mais surpreendente (para mim, ao menos) ver o Luciano e sua banda, que tocam bem à beça. Até coisas sagradas como “Sweet child o’mine” ficaram respeitáveis. Aliás, a pegada rock’n’roll dele ajudou muito a tirar (mas sem comprometer) o clima infantilóide de músicas divertidas do Trem como “Carrossel de Esperança” ou “Uni, duni, tê”.

Nesse mundo infinito de internet, outras pessoas daquele 1/3 de Circo devem ter escrito mais e melhor sobre a noite (e é provável que você tenha lido), mas acabei me empolgando ao reler a notícia por aqui.

O inusitado é que na segunda-feira daquela semana estive em SP para assistir ao show do Paul McCartney. É uma semana singular aquela onde começamos vendo Paul McCartney e terminamos com Trem da Alegria, não acha?

Parabéns pelo blog.

Abraços, Edu.

hperson disse...

Olá Edu! Obrigado pelo comentário. Cheguei a ver alguns vídeos do show, mas não li muito a respeito. Gostei de ler sua visão da noite, nada melhor do que um insider, rs. "Bissexto na noite" é sensacional!

Quanto a Patricia Marx, sou seguidor de sua carreira desde que me entendo por gente. O primeiro show que fui na vida foi dela, daquela época do "Festa do Amor". Nunca esquecerei. Mas ela não chegou a fazer muitos shows pela carreira, devo ter visto uns 5, no total, nesses anos todos. Agora ela acabou de lançar um álbum com o marido, que achei um pouco cansativo, mas com seus bons momentos. Quem sabe ela não volte a fazer uns shows nos Sescs da vida...

Realmente Paul e Trem na mesma semana é ótimo! Naquela noite de trânsito absurdo em SP eu estava a caminho do Scissor Sisters, que fizeram uma homenagem ao velho Beatle.

Obrigado pela visita, volte sempre (embora eu seja um blogger um tanto "bissexto", rs).

Abraço!
H.